O Império Luso Brasileiro no Século XVIII – Parte 1

download report

Transcript O Império Luso Brasileiro no Século XVIII – Parte 1

História
prof.ª Lígia Carvalho
O Império luso-brasileiro no século XVIII
parte 1
2º ano
resumo 6
 XVII e XVIII
comércio
marítimo português se
concentrou no Atlântico sul
(Portugal – América – África)
 Rio = principal praça comercial
Império português, sec. XVIII
 ponto estratégico no
Atlântico sul
 porto de importação /
exportação de escravos
 comércio com a Ásia não era
principal fonte de renda, mas
ainda era importante
 1763 – transferência da capital da Colônia de Salvador para o Rio.
 Fim da União Ibérica (1580-1640) trouxe problemas para Portugal.
 gastos com a guerra contra a Espanha
 pagamento de indenização à Holanda devido ao fim das invasões holandesas
 concorrência do açúcar nas Antilhas
 Descoberta de ouro no
interior do Brasil -1690’s
intenso fluxo migratório
(homens livres e escravos)
 Guerra dos Emboabas (1707-1709)
paulistas x forasteiros (portugueses e colonos de outras regiões)
 paulistas solicitaram monopólio da exploração do ouro e não foram atendidos.
 paulistas derrotados
 Diversos centros urbanos surgem na Colônia para receber burocracia
administrativa e aparelho fiscal.
 Portugal intensifica controle fiscal, maior centralização administrativa.
 1702 - criação da Intendência das Minas
cobrança do quinto real (20%)
repressão ao contrabando
repartição das datas
 1707 - Construção do Caminho Novo das Gerais
 Criação de Casas de Fundição
ligação entre Minas Gerais
e Rio de Janeiro
recolhimento, fundição e retirada do quinto
 Proibição da circulação de ouro em pó
 1729 – descobertas de diamantes – Distrito Diamantino.
 fiscalização ainda mais rígida
 circulação de pessoas condicionada à autorização do Intendente
 sistema de contratação
 Consequências da descoberta de ouro e diamantes
 Aumento das rendas da Coroa, mesmo com contrabando
 Maior ocupação do interior do Brasil
 Surgimento de atividades econômicas complementares
 Ouro e diamantes se extinguiram rapidamente
esgotamento dos veios já na segunda metade do sec. XVIII
Bibliografia
VAIFAS, Ronaldo e outros. História. Saraiva, Rio de Janeiro, 2011.