Operações II - Cadeia de suprimentos

download report

Transcript Operações II - Cadeia de suprimentos

Gestão de Operações II
Cadeia de Suprimentos
Profa. Patrícia Abreu
1
Tópicos
 O conceito de cadeia de suprimentos.
 Os principais elementos de uma cadeia de
suprimentos.
 O uso da tecnologia de informação na integração da
cadeia de suprimentos.
 Sistemas integrados de gestão e a cadeia de
suprimentos.
 Sistema de reposição contínua.
 Sistemas especiais de gestão de estoque através
 da integração da cadeia de suprimentos.
Profa. Patrícia Abreu
2
PRODUTOS
EM PROCESSO
ESTOQUE
FINAL
FORNECEDOR
MATÉRIAS
PRIMAS
PRODUTOS
EM PROCESSO
ESTOQUE
NO DEPÓSITO
PREVISÕES DE VENDAS
PREVISÕES DE VENDAS
PEDIDOS DE COMPRAS
PEDIDOS DE COMPRAS
TRANSPORTE
FABRICANTE
ESTOQUE
NA LOJA
TRANSPORTE
VAREJISTA
MATÉRIAS
PRIMAS E INSUMOS
Cadeia de suprimentos
Profa. Patrícia Abreu
3
A cadeia de suprimentos inclui:





Fornecedores de matérias primas e componentes.
Fabricantes.
Atacadista e distribuidores.
Varejistas.
Clientes.
Profa. Patrícia Abreu
4
Primeira
Camada
Segunda
Camada
Cadeia de
Suprimentos
Primeira
Camada
Segunda
Camada
Unidade Produtiva
Lado da Demanda
Lado do Fornecimento
Compras e
Suprimentos
Distribuição
Física Logística
Gestão dos Materiais
Gestão da Cadeia de Suprimentos
Principais entes de gestão da cadeia de suprimentos
Profa. Patrícia Abreu
5
Principais fluxos na cadeia de
suprimentos:
 Fluxo de materiais.
 Fluxo de informações.
 Fluxo financeiro.
Profa. Patrícia Abreu
6
Desempenho da cadeia de
suprimentos – foco nos fatores:
 Capacidade de atender de forma rápida e eficiente às
demandas dos clientes.
 Qualidade nos produtos e serviços oferecidos.
 Flexibilidade no mix de produtos e serviços.
 Custo de produção reduzido e maximização dos
resultados operacionais.
Profa. Patrícia Abreu
7
ENTREGAS
INTERNAS
GRANDES
DESPACHOS
PRODUTOR
DISTRIBUIDOR
ADMINISTRAÇÃO
DE MATERIAIS
DO HOSPITAL
ENTREGAS
CONSOLIDADAS
PACIENTES
CLINICAS DO
HOSPITAL
Cadeia de suprimentos de um hospital
Profa. Patrícia Abreu
8
Desafio da logística na cadeia de
suprimentos:
 Otimização dos estoques.
 Ciclo de produção sincronizados e flexíveis para
atender às oscilações da demanda e o mix de
produtos.
 Adequação das embalagens que deverão ser
projetadas, segundo novas exigências.
 Utilização dos espaços (transporte multi-modal [1],
armazéns etc.).
[1] O transporte multi-modal é a facilidade de transportar a carga em diversas modalidades de transporte: aéreo,
ferroviário, rodoviário e aquaviário, sem a necessidade de modificar as embalagens do produto. Por exemplo, hoje os
conteiners são projetados para serem utilizados de forma otimizada nas diversas modalidades de transporte, daí
chamar-se de conteiners multi-modais
Profa. Patrícia Abreu
9
Empresa X
VAN
Empresa Y
VAN - Rede de Valor Adicionado
Profa. Patrícia Abreu
10
Tabela de produtos
Informações sobre
a demanda
Pedido de Compra
Código de Barras
Distribuição
Nota Fiscal / Fatura
Indústria
Varejista
Comércio
Cliente
Situação do transporte
Informações para
o transporte da
carga
Link da cadeia
com auxílio de TI
Operador Logístico
EDI integrado à cadeia logística
Adaptado de EAN Brasil – EDI Aplicado à cadeia de abastecimento
Profa. Patrícia Abreu
11
Ganhos obtidos com novas tecnologias
aplicadas à cadeia de suprimentos
 Redução de 50% nos tempos de atendimento a
clientes.
 Redução de 50% nos investimentos em estoques
existentes no fluxo logístico e na produção.
 Redução de 25% nos custos de processamento das
transações.
 Aumento de 75% na acurácia dos estoques .
Profa. Patrícia Abreu
12
Ciclo de
suprimento de
materiais e
componentes
Ciclo de produção e
remessa ao distribuidor
Ciclo de abastecimento
ao mercado varejista
Ciclo de atendimento
ao pedido do cliente
Ciclos dos elos da cadeia de suprimentos.
Profa. Patrícia Abreu
13
MRP
Produção
PMP
Demanda
PMD
PNC
Estoques
Vendas
Operações
Operações
Compras
Planejamento
Planejamento
Suprimento
Recebimentos
Contabilizações
Embarques
Módulos do sistema ERP
Fonte: Tayllor, David in Supply Chains – A manager’s Guide Addison Willey (2004).
Profa. Patrícia Abreu
14
Cadeia de suprimentos e tecnologia da informação
Profa. Patrícia Abreu
15
Reposição contínua
 Processo de atendimento, conhecido como sistema de
resposta rápida (quick response) é uma estratégia que,
usando tecnologia, torna possível um fluxo de produtos
na cadeia de suprimentos muito flexível e eficiente.
Profa. Patrícia Abreu
16
Custo do sistema
Estoque
ínua
cont
sição
o
p
e
er
ma d
Siste
S
Sistema tradicional
Tempo
Estoque
nal
icio
rad
t
ma
iste
Sistema de reposição contínua
Tempo
Nível de Serviço
Comparação de custos
Reposição contínua x sistema tradicional
Profa. Patrícia Abreu
17
Requisitos para que um sistema de
reposição contínua funcione:
 A existência de uma relação comercial estável.
 A garantia de um alto nível de serviços prestados.
 Uma perfeita coordenação nas operações.
 Confiança mútua possibilitando a troca de
informações.
 Sistema de cálculo para determinar automaticamente
a quantidade a ser pedida.
Profa. Patrícia Abreu
18
Objetivos de um sistema de reposição
contínua:
 Maior rotação dos estoques.
 Redução dos espaços ocupados.
 Redução dos índices de falta.
 Melhorias consideráveis no nível de serviço.
 Aumento das vendas.
 Redução da necessidade de se promover “liquidações”
para “desovar” estoques.
 Redução de custos.
Profa. Patrícia Abreu
19