Artesanato e personagens - 9º ano

download report

Transcript Artesanato e personagens - 9º ano

Artesanato e Personagens
Índice
Fonte: Divulgação/Editora Abril
Artesanato
Artesão
Arte típica
Feito um a um
Personagem
Máscaras, personagens e encenações
Teatro de bonecos
Artesanato em Buriti, feito em Belém do Pará.
1
Artesanato
Fonte:Artur Ikissima/Editora Abril
Fonte:Pedro Martinelli/Editora Abril
Artesanato é o nome dado aos objetos feitos à mão.
Na maioria das vezes, eles são utilitários, ou seja, objetos que usamos em nosso
cotidiano, como, por exemplo, vasos, roupas e brinquedos.
Artesã moldando um vaso de cerâmica.
Índia usando tear manual, São Gabriel da Cachoeira, AM.
2
Artesão
É a pessoa que faz artesanato. Ele domina uma técnica que é transmitida de maneira
informal: aprende-se fazendo e olhando quem já sabe fazer. O artesão é importante
porque expressa a cultura e as tradições da comunidade que o produz.
Fonte:Paulo Jares/Editora Abril
Artesão moldando um vaso no torno, PA.
Fonte:Divulgação/Editora Abril
Trabalho artesanal com palha, CE
Fonte:Jader da Rocha/Editora Abril
Índios do povo Kaingang, produzindo
artesanato na periferia de Curitiba, PR
3
Arte típica
Existe artesanato que é típico de uma região, por causa do material com que é
feito ou por causa da técnica, executada apenas por pessoas que vivem ali.
Fonte:Heudes Regis/Editora Abril
É o caso das garrafinhas com paisagens desenhadas com as areias coloridas do
Ceará.
Garrafas de vidros com desenhos formados por areias coloridas.
4
Feito um a um
Ao contrário do objetos e dos bens de consumo produzidos pela indústria em grande
quantidade, o artesanato é feito um a um.
O artesanato vive uma fase de grande valorização no mercado. Quanto mais o mundo
se uniformiza, mais as pessoas se interessam por objetos originais e exclusivos.
A artista Kimi Nii nasceu no Japão, mas mora e trabalha no Brasil. Ela faz peças de
cerâmica com extrema precisão e é rigorosa em sua execução.
Algumas delas são utilitárias, outras são esculturas desenvolvidas a partir de figuras
geométricas ou inspiradas nas formas orgânicas da natureza.
5
Personagens
Mosaico do Teatro da Trágica Comédia, Roma, Itália.
Mascarados no carnaval de Veneza.
Fonte:Bob Paulino/Editora Abril
Fonte:Capitoline Museum in Rome
Fonte:Heudes Regis/Editora Abril
Na Grécia antiga, a máscara era chamada de persona e quem a usava em uma
festa ou cerimônia era chamado de personagem.
Máscaras baile de gala.
6
Máscaras, personagens e encenações
A máscara é uma forma de disfarce usada sobre o rosto.
Em várias partes do mundo, os mais diferentes povos fazem e utilizam máscaras
em cerimônias religiosas, festas e representações teatrais.
Veja alguns exemplos:
Máscara Kalapalo, do Xingu, 1998.
Máscara de madeira e palha de buriti, usada em rituais dos Kalapalo, na época da
seca. Para esse povo indígena, que vive nas margens do Rio Kuluene, no Parque
Indígena do Xingu (MT), a confecção e o uso de máscaras estão associados aos
rituais itseke (“donos” da música), como kafugukuegi (“ritual do macaco bugio”).
7
Teatro Kabuki
Fonte: Museu Histórico da Imigração Japonesa, São Paulo.
Máscaras, personagens e encenações
É uma das tradições mais populares do Japão. Consiste em uma combinação de ações,
músicas e danças, com roupas e acessórios muito coloridos.
Em algumas peças, a maquiagem é espessa, como uma máscara e serve para intensificar as
emoções que os atores desejam transmitir ao público.
No século XVII chegava a durar um dia inteiro e os atores que participavam do espetáculo
atraíam multidões tendo a administração dos membros da corte.
8
Fonte: Dilmar Cavalher/Strana/Editora Abril
O ator ou manipulador
que usa um boneco para
representar os
personagens chama-se
titereiro ou titeriteiro.
A palavra vem do
espanhol: títere, que
significa “marionete,
fantoche”.
Fonte: Divulgação/Editora Abril
Com bonecos é possível
fazer uma forma mágica
de teatro.
Fonte: Luiz Barros Braga/Editora Abril
Fonte: Caca Bratke/Editora Abril
Teatro de bonecos
Os personagens/bonecos podem ser gente, bichos,
plantas e coisas que falam e se mexem, ganhando
vida através da voz e do movimento do manipulador.
9
Teatro de bonecos
Alguns exemplos de teatro de bonecos:
Teatro de luz negra
Teatro de mamulengo
Em Pernambuco a marionete é chamada de
mamulengo, que vem da expressão “mão molenga”. O
nome refere-se ao fato de que para manipular bem um
boneco é preciso ter mão mole. Os bonecos chegam a
medir 3 metros de altura e a pesar 50 quilos. São
carregados por bonequeiros e são a grande marca do
carnaval de Olinda.
Neste tipo de teatro de bonecos as roupas do
manipulador, o palco e as cortinas devem ser
pretos. Só os personagens e o cenário são
coloridos. A luz negra faz as coisas pretas
desaparecerem, de modo que os
manipuladores podem andar para
lá e para cá sem serem vistos.
Teatro de marionetes
Teatro de Fantoches ou João Minhoca
Usados nas mãos do manipulador, como uma luva. Seu
corpo é de tecido e a cabeça pode ser de papel machê,
gesso ou plástico.
Os bonecos são pendurados por fios ou cordões
quase invisíveis numa cruzeta manipulada pelo
titereiro, que dá vida aos personagens fazendo
movimentos muito precisos. Cada cordão é
responsável por um membro do boneco.
10