Quantidade Oferta

download report

Transcript Quantidade Oferta

2.1 Conceito de oferta individual
 Define-se por oferta individual de um
determinado bem (ou serviço) a
quantidade desse bem que um único
produtor deseja vender no mercado, por
unidade de tempo.
a) oferta é uma aspiração, um desejo, e não
a realização do desejo. A oferta é um
desejo de vender (um bem, um serviço).
A realização do desejo se dá pela venda
do bem. Logo, não se pode confundir
oferta com venda.
b) Assim como a demanda, a oferta é um
fluxo por unidade de tempo, ou seja,
devemos expressar a oferta de uma
mercadoria como sendo uma determinada
quantidade em um determinado período
de tempo. Ex:
 Um produtor oferece 50 kg de açúcar. Por
falta da unidade tempo não é oferta.
 Um produtor oferece 50 kg de açúcar por
(dia, semana, mês ou ano). Neste caso
temos uma oferta, pois há unidade de
tempo.
2.2 Elementos que
determinam a oferta
 O preço do bem;
 O preço dos fatores de produção;
 A tecnologia;
 O Preço dos outros bens;
 Expectativas e
 Condições climáticas (no caso de produtos
agrícolas.
a) A oferta e o preço do bem
 Normalmente espera-se uma relação
direta entre a quantidade ofertada e o
preço. Quanto maior o preço do bem (ou
serviço) maior deverá ser a quantidade
ofertada, quanto menor for o preço menor
será a quantidade ofertada do bem.
 O ofertante sempre relacionará fatores
como custo de produção e/ou distribuição
e receita total a obter.
Se o preço de venda alcançado pelo
produto no mercado não for suficiente
para cobrir o custo de produção, não
haverá estimulo para oferecer esta
mercadoria. Portanto, a relação entre
quantidade e preço deverá apresentar um
limite mínimo dado pelo custo de produção
e um limite máximo, dado pelo emprego
dos fatores de produção desta forma a
quantidade ofertada será constante
independente das elevações de preços que
possa vir a ocorrer.
b) A oferta e os preços dos fatores
de produção
 A quantidade de um bem a ser
disponibilizado no mercado depende dos
preços dos fatores de produção. Os preços
pagos pelos fatores de produção e mais a
tecnologia empregada determina o custo
de produção. Reduções nos preços desses
fatores (salários, matérias-primas, capital,
etc) reduzem os custos tornando a
produção mais lucrativa.
 O aumento na lucratividade estimula a
firma a aumentar a produção e a oferta de
seu produto no mercado. Bem como, as
elevações nos preços dos fatores de
produção acarretam aumentos de custos e
diminuição na lucratividade,
desestimulando a produção e diminuindo a
oferta.
c) A oferta e a tecnologia
 Avanços tecnológicos que permitem obter
um volume maior de produção a custos
menores aumentarão a lucratividade da
empresa produtora do bem cujo processo foi
beneficiado pela evolução tecnológica,
estimulando a produção e aumentando a
oferta do bem produzido por essa firma no
mercado.
 Ex: A introdução de uma nova máquina que
permite obter uma produção maior por
unidade de tempo permitirá que a firma que
adote essa nova máquina aumente a
quantidade a ser ofertada desse produto no
mercado.
d) A oferta e o preço dos outros bens
 A oferta de um produto poderá ser afetada
pela variação nos preços dos bens que
sejam “substitutos” ou “complementares” na
produção.
 Bens substitutos na produção:
produzidos com praticamente os mesmos
recursos, ex: milho e soja (o aumento no
preço da soja torna essa cultura mais
lucrativa e atraente que a do milho, o
agricultor que cultiva milho poderá se
interessar em plantar soja.
Se isso ocorrer, consequentemente teremos
aumento na área cultivada e na produção de
soja e diminuição na área cultivada e na
produção de milho. Portanto, a redução na
oferta de milho se dá em função do aumento
no preço da soja.
 Bens complementares na produção:
apresentam alteração na produção em
virtude da variação de preço de outro bem,
como a carne e o couro. Ex: um aumento no
preço da carne poderá provocar um aumento
no abate e, como conseqüência, um aumento
na oferta do couro. Alternativamente, uma
diminuição no preço da carne deverá
provocar uma diminuição na oferta do couro.
e) A oferta e as expectativas
 O produtor, na sua decisão de produção
atual, também leva em consideração as
alterações esperadas de preços. Ex: se um
criador de gado acredita que haverá um
aumento no preço da carne no futuro, é
provável que retenha o fornecimento atual
de gado para o abate, a fim de aproveitar
preços mais altos posteriormente. Isso
provoca uma diminuição na oferta atual da
carne.
f) A oferta e as condições
climáticas
 Relativamente a alguns produtos,
especialmente produtos agrícolas, as
condições climáticas exercem grande
influência na oferta. Ex: uma fazenda na
qual se produza café poderá sofre uma
grande redução na produção desse bem
caso ocorra uma geada. Se isso acontecer,
a oferta de café por parte desse produtor
deverá diminuir.
LEI GERAL DA OFERTA
 “A oferta de um produto ou serviço
qualquer, em determinado período de
tempo, varia na razão direta da variação
de preços desse produto ou serviço, a
partir de um nível de preços tal que seja
suficientes para fazer face ao custo de
produção do mesmo até o limite superior
de pleno emprego dos fatores (de
produção), quando se tornará constante,
ainda que os preços em referência possam
continuar oscilando, mantidas constantes
as demais condições.”
O EQUILÍBRIO
O Equilíbrio em um Mercado Competitivo
 É chegado o momento de juntar os dois
lados do mercado, da oferta e o da
demanda, a fim de ver de que maneira o
preço e a quantidade de equilíbrio são
determinados. Nossa atenção estará
voltada somente aos mercados do tipo
competitivo, que são aqueles em que
existem muitos compradores e
vendedores, de forma tal que nenhum
deles, agindo
individualmente, consegue exercer
influência significativa sobre os preços
e quantidades praticados no mercado.
Existirá equilíbrio estável em um
mercado de concorrência perfeita
quando o preço corrente de mercado
tende a ser mantido se as condições
de demanda e oferta permanecerem
inalteradas.
Análise de equilíbrio pelas escalas
de oferta e demanda
ESCALA DE OFERTA E DEMANDA DE MERCADO PARA CAMISAS
Preço
($/camisa)
Quantidade
Demanda
(camisa/mês)
Quantidade
Oferta
(camisa/mês)
Excesso de
Oferta (+)
Excesso de
Demanda (-)
Pressão sobre
o Preço
R$
100,00
1.000
11.000
+10.000
Descendente
R$
90,00
2.000
10.000
+8.000
Descendente
R$
80,00
3.000
9.000
+6.000
Descendente
R$
70,00
4.000
8.000
+4.000
Descendente
R$
60,00
5.000
7.000
+2.000
Descendente
R$
50,00
6.000
6.000
Equilíbrio
Nenhum
R$
40,00
7.000
5.000
-2.000
Ascendente
R$
30,00
8.000
4.000
-4.000
Ascendente
R$
20,00
9.000
3.000
-6.000
Ascendente
R$
10,00
10.000
2.000
-8.000
Ascendente
eo1
eo2
ed1
ed2
O excesso de oferta
 O excedente (sobra) de produtos ofertados
no mercado.
 Grande quantidade de mercadorias
encalhadas.
 O acúmulo de estoque é prejudicial, pois
os produtores precisam de dinheiro para
saudar as despesas de fabricação do
produto.
Escala
 A fim de aumentar a receita e eliminar o
excesso de mercadoria os produtos são
vendidos a preços mais baixos.
 Ocorre que cada produtor pensa da mesma
forma (preço mais baixo + atrair mais
compradores = eliminação do excedente).
 O consumidor percebe o problema e passa a
barganhar no preço.
 A constante queda dos preços aumenta a
quantidade demandada e redução da
quantidade ofertada.
Escala
O excesso de demanda
 O preço baixo desperta o interesse pela
compra, porém a oferta será menor do que
a demanda, pois a preço tão baixo poucos
serão os produtores dispostos a produzir.
 Demanda > oferta = escassez.
 Nestas condições muitos consumidores, a
fim de participar do mercado se dispõem a
pagar mais pelo produto. Isso eleva os
preços.
Escala
 Com o aumento dos preços a demanda
diminui seja pelo fato de alguns
consumidores não poder pagar um preço
maior ou por induzir os consumidores a
diminuir a quantidade demandada.
 Em resposta ao aumento nos preços
produz-se mais e haverá maior oferta.
 Redução da quantidade demandada +
aumento na quantidade ofertada =
equilíbrio entre as quantidades.
Escala