Depressão

download report

Transcript Depressão

Depressão
Etimologia
Depressão: abaixamento de nível, resultante de pressão ou peso; baixa de
terreno; abatimento moral ou físico. Dic. Aurélio
Tão Antiga Quanto o Homem
• Jó: a única coisa que lhe restou foi sua integridade e fé. Jó 2, 9
• Pedro: sentimento de culpa. Mt 26, 75
• Judas Iscariotes: apresenta a mais grave conseqüência da depressão → o
suicídio. Mt 27, 5
Prevalência
• 10% da população mundial → 650 milhões de pessoas (20% mulheres e
10% homens).
• 15% da população mundial em algum momento de suas vidas poderão ter.
• Pode afetar: crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.
• Pode afetar: ricos e pobres, cultos e ignorantes, brancos e negros,
encarnados e desencarnados.
O que é Depressão
• Tristeza profunda e prolongada por mais de duas semanas sem indício de
recuperação.
• Falta de interesse em geral (profissional, coisas preferidas...).
• Perda de energia e sentimentos de pessimismo.
• Irritabilidade e distúrbios do sono (insônia ou excesso).
• Crises de choro.
• Vontade de morrer, pensamentos de morte ou suicídio.
• A intensidade e a duração do estado depressivo dependem da
personalidade, dos fatores que desencadearam o processo e da situação
atual da vida.
Fossa
• Todo depressivo apresenta-se triste, mas nem toda pessoa triste está com
depressão.
• Quando está triste ou de baixo astral costuma-se dizer que está na fossa.
• A fossa ou qualquer contrariedade não dura mais que alguns momentos,
basta um fato positivo para novamente a pessoa se sentir disposta.
Mulher e Depressão
• A mulher é mais atingida pela depressão que o homem → dobro.
• Possíveis causas:
• Maus tratos e agressões (físicas e psicológicas).
• Ocupar-se com uma só tarefa (dona de casa).
• Complexo de inferioridade (auto-estima).
• Abuso sexual (52% terão problemas de libido).
• Tédio, estresse, rejeição ao próprio corpo.
• Conflitos domésticos; remoer ressentimentos;
• Inveja (status, dinheiro e segurança do homem).
• Carência afetiva, sensação de abandono.
• Alterações hormonais.
• Preocupação excessiva com tudo, perfeccionismo.
• Pensar que sofre mais.
• Velhice.
Comportamentos
• Ninguém no mundo passa incólume a experiências alegres e tristes.
• O depressivo fixa-se no passado sombrio e triste, desperdiçando o
presente e comprometendo o futuro.
• O ser humano é o somatório de suas experiências armazenadas em sua
memória, estas experiências estabelecem seu comportamento atual.
• Preocupação exagerada → ocupa-se antes com ocorrências que imagina
que irão acontecer → gerando ansiedade pelo futuro.
O pensamento
• Ninguém vive sem pensar.
• O pensamento é a base das nossas realizações.
• Poderíamos fazer uma projeção para o exterior e culpar circunstâncias,
pessoas ou ocorrências pela depressão.
• É no pensamento que está a base da nossa felicidade ou infelicidade.
• As ocorrências externas poderão encontrar o anteparo do pensamento
saudável e positivo e conservar-se relativamente bem intimamente.
• O pensamento negativo, longamente acalentado, termina por conduzir o
ser a profunda tristeza.
• Mesmo durante o sono, a alma emancipa-se do corpo e continua
pensando e realizando.
• Eu sou o que me fiz ser, através das múltiplas reencarnações,
experiências e vivências.
Espírito, Perispírito e Corpo
• Atributos da Alma ou Espírito:
• Pensamento
• Sentimento
• Livre-arbítrio
• Memória
• Vontade
• Responsável pela existência e funcionamento do ser.
• O perispírito está ligado ao corpo através do sistema nervoso:
• É o repositório de todas as experiências e conquistas do Espírito.
• Controle do automatismo fisiológico.
• Registro de todos os fenômenos mentais.
• Corpo físico:
• Instrumento de manifestação da Alma.
Espírito
• É o Espírito que poderá cair em depressão e, por conseqüência afetar o
corpo orgânico.
• Por isso a depressão pode durar toda a encarnação e acompanhar o
Espírito desencarnado, que numa nova encarnação traz consigo a
enfermidade.
• A depressão é um estado emocional do Espírito a se refletir no corpo
físico, portanto acompanha o ser no corpo ou fora dele.
• Tanto é assim, que a mesma ocorrência que arrasta alguém à depressão,
em outro poderá produzir um efeito menor ou nenhum efeito.
• A condição íntima do Espírito é que determinará se isto ou aquilo o
arrastará ou não ao estado de tristeza.
• Portanto, é no Espírito que se encontra a causa da depressão e o fator
preponderante para a cura.
Imaturidade Psicológica
• Seres fisiológicos: vivem exclusivamente para o atendimento das
necessidades fisiológicas.
• Seres subdiafragmáticos: criaturas que objetivam tão somente o
atendimento do diafragma para baixo → estômago e sexo.
• Sendo imatura psicologicamente, a criatura se torna egoísta, sendo
egoísta, se torna uma pessoa exigente, ingrata e rebelde, sobretudo quando
contrariada.
• Não se ocupam com o aspecto imortal da alma, sem valores morais e
espirituais suficientes para enfrentar as vicissitudes da vida.
• Sem resistências morais para enfrentar as dificuldades naturais do
processo evolutivo, tais pessoas deixam-se consumir pela revolta ou
sucumbem sob p peso da depressão e da amargura.
Joana de Ângelis
Mensagem da Cruz
• A trave horizontal representa os interesses materiais da criatura humana.
• A trave vertical representa os interesses espirituais ou eternos da alma.
• A trave vertical é maior e aponta para o alto, significa que devemos dar
maior ênfase aos interesses da alma imortal.
• Quando o ser inverte sua escala de valores, atribuindo à vida material
importância maior, sofrerá instabilidade porque a trave menor não dará
equilíbrio à trave horizontal mais longa.
• A criatura não deve desconsiderar seus deveres perante o corpo, a família,
o trabalho, o estudo, a sociedade → a trave horizontal.
• Mas desprezar os interesses espirituais e eternos é erro grave que
acarretará perturbações íntimas e desestruturação emocional.
Sentimento de Perda
• É uma das causas mais freqüentes e marcantes da depressão.
• Todos possuímos uma escala de valores na vida e, dependendo do que for
mais ou menos importante para a pessoa nesta escala, caso venha a perder
o que considera essencial, poderá cair em depressão.
• Uma criança que venha a perder um brinquedo que ela considera
importante dentro de sua escala de valores, poderá experimentar profunda
e prolongada tristeza por aquela perda.
• Quantos Espíritos reencarnam trazendo no fundo da alma perdas
significativas acumuladas ao longo de suas existências?
Situações de Perda
• Morte de alguém muito querido;
• da saúde; da coragem; do entusiasmo; de objetos;
• de status social, econômico, financeiro;
• separação ou divórcio; filhos que partem; amigos ou familiares que se
mudam;
• do emprego; da juventude;
• das oportunidades de felicidade;
• A pessoa acumula recordações tristes e nega-se a novas alegrias,
anulando os valores que possui, enquanto desenvolve conflitos cada vez
mais destrutivos.
Apego
• Depressão por sentimento de perda decorre do apego.
• do sentimento de posse;
• da dependência, que leva alguém a ter necessidade dos outros para
tudo;
• do imediatismo, onde a pessoa fixa-se apenas nos interesses
materiais;
• do orgulho, levando à presunção de ser alguém especial;
• do egoísmo, condicionando a pessoa a viver centrada em si mesmo;
• da desconfiança, pois colocam a felicidade no que possuem e detém;
• A posse e o apego geram um elo de escravidão, porque a pessoa acaba
possuída por aquilo que julga possuir.
• O egoísmo é incompatível com a Justiça, Amor e Caridade porque ele
neutraliza todas as outras qualidades.
• Ocupar-se da felicidade alheia o quanto se ocupa com a sua própria →
amando mais.
Aflições da Perda
• Dependendo do valor que a pessoa dá ao que considera perdido:
• dor da separação;
• dificuldade de readaptação à situação nova, muitas vezes sem
disposição íntima ou interesse nessa readaptação;
• insegurança;
• saudade;
• desespero, não acreditando que a vida lhe proporcionará coisas boas
e positivas novamente;
• raiva; ódio;
• morte → quantas pessoas, inclusive crianças, não sobrevivem muito
tempo após perdas importantes para elas;
• apatia;
• trauma;
• solidão;
• depressão...
Ressentimento
• É uma das causas mais freqüentes de depressão.
• O ressentido é alguém inseguro que aceita os petardos da ignorância e da
maldade alheia.
• Enquanto o agressor exterioriza a agressividade, o ressentido opta por
arquivar a mágoa ou a raiva que passou a nutrir.
• Fixa o quadro na mente e passa a remoer o acontecimento desagradável.
• Muitas vezes, inclui-se mágoas e ódios acumulados desde outras
encarnações.
• Quanto ao perdão, os seres são classificados em três grupos:
a) pessoas que, sendo ofendidas não perdoam nunca;
b) pessoas que, sendo ofendidas não conseguem perdoar num primeiro
momento, mas perdoam depois;
c) pessoas que não se permitem influenciar ou ferir pelas ocorrências
de fora, são indenes às ofensas.
Conseqüências do Ressentimento
• Cada um age de acordo com suas resistências e conquistas. Joana de Ângelis
• O ressentimento quando encravado no ser aparece na condição de
frustração e desinteresse pela vida, como mecanismo de culpa.
• O ressentimento agasalha sentimentos de antipatia que se converte em
animosidade crescente, sempre cultivada com satisfação.
• O ressentimento obscurece a razão, perturba a óptica pela qual a pessoa
observa os acontecimentos da vida.
• O ressentimento enquista-se como força destrutiva, porque a pessoa não
conseguindo atingir quem lhe deu origem, fere os seres à sua volta.
• O perdão sincero é filho do amor espontâneo. Emmanuel
Sentimento de Culpa
• Como um espelho reflete nosso exterior, a consciência reflete o nosso
interior.
• A criatura erra por ignorância ou por fraqueza moral.
• Ver no erro a oportunidade de aquisição de conhecimento, de experiência.
• Através das dores que se seguirão aos erros é que o aprendizado se fixará
para sempre.
• O sentimento de angústia entorpece o discernimento, transformando-se
em fator para alienações.
• A consciência culpada dilacera a alegria íntima e propicia a depressão e a
instalação de obsessões graves.
• Há casos de profundo sentimento de culpa por crimes não resgatados em
encanações anteriores.
Obsessão
• Deus é, para muitos, a última alternativa, quando deveria ser a primeira ou
a única.
• O pensamento, tanto dos encarnados como dos desencarnados se
irradiam e, pelas leis de afinidade e sintonia, se atraem.
• A sintonia baseia-se na semelhança de nível moral. Assim, podemos ser
influenciados por sugestões de Espíritos bons ou maus.
• O encarnado, muitas vezes abalado por problemas, ou fragilizado por
imperfeições morais, faculta a sintonia com Espíritos perturbadores.
• Na obsessão intencional, o malfeitor observa a vítima aguardando um
momento favorável para agir.
• Na obsessão inconsciente há troca de pensamentos, sentimentos e
emoções (vibrações de ódio, ressentimento, mágoa, desânimo,
maledicência...).
• Não visam prejudicar, apenas unem-se por afinidade, buscando
inconscientemente uma companhia.
Efeitos da Obsessão
• a razão declina;
• a vontade enfraquece;
• os sentimentos deterioram-se;
• os hábitos mudam;
• instabilidade emocional;
• choro; raiva; riso; ansiedade; fúria; apatia;
• sentimentos de culpa;
• Muitos obsedados acomodam-se à influência dos obsessores e acabam
até gostando. Quando afastados, sentem-se angustiados e atraem-se
vigorosamente de novo.
Outras Causas
• Afetivas:
• Nem sempre a criatura conseguirá uma convivência harmônica no lar,
as dificuldades de entrosamento podem concorrer para a depressão.
• Orgânicas:
• A alma poderá não se sentir feliz num corpo enfermo (câncer). Sem
compreender a finalidade da dor, poderá permitir o abatimento,
deprimindo-se.
• Entorpecentes:
• A dependência a drogas produz danos profundos ao organismo; a
pessoa sentindo-se vencida e não encontrando forças para superar o
vício, se debilita emocionalmente e poderá deprimir-se gravemente.
• A viciação alcoólica poderá descambar para a depressão, pelos danos
causados ao organismo e ao emocional.
• Econômicas:
• Ao ver-se privado do necessário para a manutenção digna da
existência, o ser pode entrar em depressão.
Conseqüências da Depressão
• Enfermidades Orgânicas:
• O Espírito afetado pela depressão compromete as defesas orgânicas,
assim o corpo também acaba enfermando-se.
• distúrbios digestivos; úlceras (estômago e duodeno);
• disritmia cardíaca; oscilação de pressão arterial;
• problemas hepáticos; disfunções intestinais;
• neoplasias e outros estados degenerativos (artrite);
• Doenças psicossomáticas:
• os distúrbios emocionais/espirituais terminarão por se projetar no
corpo físico.
• asma, rinite, fibrosites, amenorréia, dismenorréia, endometriose,
enxaqueca, psoríase, constipação...
Suicídio
• A conseqüência mais terrível da depressão.
• Suicídio direto ou consciente:
• O depressivo deseja por fim à dor que o vem dilacerando e, como não
crê ou não vê saída para o problema que considera invencível, elimina a
vida orgânica, imaginando, com isto, livrar-se da dor.
• Terrível engano, pois terá seus problemas agravados que exigirá
imenso esforço de superação nas próximas encarnações.
• Suicídio indireto ou inconsciente:
• A pessoa não busca a morte deliberadamente de forma irreversível.
• Entregando-se ao desalento da depressão, vai consumindo as forças
físicas e psíquicas, até que perdidas todas as resistências, o corpo não
permite que a alma se mantenha nele, expulsando-a da vida.
• A tristeza longamente agasalhada, a mágoa conservada, a rebeldia
sistemática, a irritação constante, o ressentimento remoído... Podem
ser considerados suicídios indiretos.
Outras Conseqüências
• desperta fobias (medos irracionais, pânico, agorafobia...);
• perturbações do comportamento;
• reações impertinentes;
• insucessos afetivos, financeiros e sociais;
• compromete a auto-estima;
• desencadeia obsessões infelizes;
• solidão mórbida (fuga ao isolamento emocional);
• sentimento de injustiça e revolta contra Deus;
• cansaço, vivem cansados;
• indiferença ao amor
• comprometimento afetivo, profissional, social e sexual;
• as doenças psiquiátricas são responsáveis por 1,4% das mortes no
mundo, mas provocam 28% dos casos de incapacitação.
• a depressão é a causa número um de incapacitação no mundo.
Cura
• É a alma que está doente, então no depressivo está a causa principal de
sua depressão.
• Como tratar a alma? Espiritualizando-se considerando a realidade eterna.
• Mudando a escala de valores, colocando em primeiro plano os interesses
imortais da alma, renovando conceitos, buscando o que é essencial.
• Desapegando-se dos bens transitórios descobrindo quais as motivações
para viver.
• Não condicione felicidade à cessação completa do sofrimento. Vivemos
num mundo de provas e expiações. A dor é necessária à nossa evolução.
• Torne-se senhor de suas emoções e não se fixe nas ocorrências infelizes
do passado. Fixe o lado melhor das coisas. Seja racional.
• Perdoe sempre, se você encontra-se magoado ou ressentido, está tão
doente quanto seu agressor. Ocupe-se de sua doença primeiro.
• Higienize o pensamento e liberte-se de possíveis obsessões.
• Dê-se nova oportunidade, na hipótese de se encontrar dominado pelo
sentimento de culpa.
Cura
• Em tese, depressão é a reação da alma que não aceitou sua realidade
pessoal como ela é, estabelecendo um desajuste interior que a incapacita
para viver plenamente.
• Quando a depressão se manifesta, é como se houvesse uma intimação de
leis da vida convocando a alma a mudanças inadiáveis.
• A pessoa que enfrenta este tipo de prova deve estar consciente de que
tem o amparo da Providência divina e procurar perceber em si a força e a
capacidade de superar.
• Ore fervorosamente com o coração. Vigie sempre. Cultive alegria íntima.
• Busque amparo da família e ajuda profissional. Redescubra-se.
• A utilização pura e simples de medicamento resolve o problema desta
vida, mas empurra a solução para a próxima existência.
• É preciso tomar uma atitude, não mais transferindo para a próxima
existência a responsabilidade da mudança. Não espere a próxima
reencarnação para renascer de novo.
Obrigado