Palestra Trabalhos em microbacias hidrográficas

download report

Transcript Palestra Trabalhos em microbacias hidrográficas

EXPERIÊNCIAS DO INSTITUTO EMATER COM TRABALHOS EM MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS

Eng. Agr. Udo Bublitz

www.emater.pr.gov.br

HISTÓRICO

I.

Projeto Noroeste - 1972-1973 Erosão em áreas periurbanas 153 municípios - 67.445 Km 2 Recursos: Estado - DNOS - OEA

II.

1975 - PNCS (Nacional) até 1980 PROICS (Paraná) - Meta - Conservar 2.300.000 Hectares e 72.000 Propriedades Rurais em 130 municípios.

III.

1980 - Pronoroeste Sudesul; Ministério da Agricultura e Governo do Paraná Novo conceito:

Manejo

do solo de forma integrada em microbacias hidrográficas 1988 87 municípios

IV.

PMISA Manejo integrado de solos e água em microbacias hidrográficas Início - 1984 até 1988 Algumas metas cumpridas - 1.017 microbacias hidrográficas - 114.000 - Produtores envolvidos - 14.363 Km Adequação estradas rurais - 1.700.000 ha - Terraceamento 28 milhões - Mudas florestais - 535.000 Kg Adubação verde

V.

Programa Paraná Rural

Sub programa: Manejo e conservação de solos e água 1988 BIRD e Governo do Paraná Término - 1995

Regiões de atuação do Projeto:

Priorizou a produção de grãos (econômico) e com maior erosão.

Entidades:

SEAB/ SEPL/ EMATER/ IAPAR/ CODAPAR DER - Conselhos Municipais - Prefeituras Municipais/ DER/ COOPS/ Entidades Privadas.

Microbacias Hidrográfica: unidade de planejamento, execução e concentração de esforço.

Área média trabalhada

- 2.900 hectares, com 88 produtores

Abrangência do trabalho:

2.433 Microbacias trabalhadas, numa área de 7,1 milhões de hectares, com 5,0 milhões de hectares com práticas mecânicas de conservação de solos.

VI.

Programa Paraná 12 meses

Sub-componente

: Manejo e conservação dos recursos naturais 1º fase Produtores atendidos - 18.765

Número de pessoas - 71.661

Região prioritária do Estado

: Agricultura Familiar Solos baixa aptidão agrícola Área média - 14 ha Regiões do centro -sul; Norte pioneiro, Centro, Sudoeste. Trabalhos, mais em comunidades rurais e propriedades.

VII.

Projeto Paraná Biodiversidade

Início

: SET / 2003 (Efetivo - 2005) Término - Jan./ 2009 Um dos projetos de consolidação do Programa Rede da Biodiversidade, com recursos do BIRD / GEF, prevê ações em 9 unidades de conservação, 63 municípios e 280 Microbacias, distribuídas em três áreas prioritárias nos corredores dos rios Iguaçu e Paraná: Araucária (1), Iguaçu - Paraná (2) e Caiuá-Ilha Grande (3).

VIII.

Programa de Gestão Ambiental Integrada

Início Previsto -

ano 2008

Final -

ano de 2022

Coordenação:

Governo do Estado - SEAB/ SEPL/ COPEL/ SANEPAR/ EMATER/ IAPAR/ Universidades e etc..

Atualmente:

fase de aprovação pelo Governador seleção, cadastramento e planejamento das Microbacias hidrográficas.

capacitação das estruturas geoprocessamento; solos; paisagens e etc..

Projeto Paraná Biodiversidade

Planejamento de Microbacia Hidrográfica

Objetivos

Apoiar o exercício do modelo de gestão da conservação da biodiversidade. Projetar conexões locais de fragmentos florestais tendo em vista a formação de corredores de biodiversidade.

Corredor Ecológico: mosaicos da paisagem compondo um agroecossistema

Conceito de Bacia Hidrográfica:

É um seguimento da paisagem constituído por um rio principal e seus afluentes e delimitado pelos divisores de água da rede de drenagem, fechando sua área de abrangência na foz do rio principal - Fig. 1.

Microbacia 1 Microbacia 2 Fig. 1a: Bacia A Microbacia 3 Fig. 1b: Microbacias Norte

ESTRATÉGIA PARA PLANEJAMENTO DO AJUSTE AMBIENTAL EM MICROBACIA HIDROGRÁFICA

Hidrografia Floresta de proteção Solo Relevo Potencial de Uso do solo Imagens e checagem de campo Unidade de paisagem Mapa de conflitos e oportunidades Proposições Uso atual

Área de estudo Fig. 2 -

MBH Rio da Divisa em Reserva do Iguaçu PR

Nort e

Importância:

O conceito de bacia hidrográfica tem sido utilizado no planejamento de unidades ambientais devido ao importante papel que a rede de drenagem desempenha na escrituração do relevo e na interação entre os seres vivos, como resposta das variáveis físicas e biológicas locais.

Fig. 3

Reserva do Iguaçu

Fig. 4 Mapa da área de preservação permanente – APP da área em estudo Nort e

Fig. 5 – Mapa de uso do solo da MBH Rio da Divisa: Legenda:

Lago Lavoura Mata Pasto Reflorestamento Solo exposto Várzea úmida Área urbana Área/sede

Fig. 6 – Mapa de uso do solo da MBH Rio da Divisa:

Fig. 7 – Mapa de áreas em conflito de uso com a Preservação Permanente

Fig. 8 – Mapa indicando conflito de uso com a Preservação Permanente na Microbacia de estudo

O mapa de Conflitos do Uso da Terra permite a visualização espacial do Uso do solo e ao mesmo tempo o uso ideal indicado para cada unidade de paisagem - UP. A geração deste mapa pretende auxiliar a comunidade local à preservar a biodiversidade e usar de forma adequada e sustentável os recursos naturais disponíveis. A identificação do uso adequado também permite ao proprietário otimizar gastos para a readequação do uso da terra e até mesmo produzir mais com menor custo.

Para completar o planejamento é gerado o mapa de Proposição de Uso (Tabela 1), onde todos os elementos mapeados são analisados e de acordo com a legislação ambiental. A aptidão do solo é o fator principal de apoio à elaboração das proposições.

Tabela 1: Proposições visando a adequação ambiental considerando o uso atual do solo e a legislação florestal na MBH em estudo.

Proposição 1

– Para áreas de Preservação Permanente

sem

conflito de uso: Proteger a área visando evolução e ou manutenção da cobertura florestal nativa existente.

Proposição 2

mas

com

– Para áreas de Preservação Permanente

com

conflito de uso potencial de regeneração: Isolar a área visando regeneração natural da cobertura florestal nativa.

Proposição 3

- Para áreas de Preservação Permanente

com

conflito de uso e

sem

potencial de regeneração: Isolar a área e efetivar o reflorestamento com espécies nativas.

Proposição 6

– Para áreas com vegetação nativa excedente a de Preservação Permanente: Manter o fragmento florestal para servir de trampolim ecológico em linha de conectividade com outros fragmentos (corredores locais) ou constituir Reserva Legal. (verificar possibilidade de uso econômico com manejo sustentado).

Exemplos do Uso do Solo

Terra recém arada para agricultura na região de Paranavaí;

Eventos extremos Apucarana maio/2005 150 mm

Campos de Guarapuava - 2005

Campos de Guarapuava - 2005

Eventos extremos Ortigueira Maio/2005 150 mm

Região de Telêmaco Borba Maio de 2005 Chuva natural de 135 mm

Eventos extremos Ortigueira maio/2005

Sistema Silvipastoril

Mata ciliar somente não é solução

Foto 5.01 - Vista Geral do Rio Pimpão (Ponto 1), Aspecto Geral da Vegetação

*Observa-se no canto Inferior, à squerda, início do processo de assoreamento do rio, bem como o aspecto turvo da água.

Agricultura conservacionista

Sistema Silvipastoril

• Eucalipto formando reserva legal com recuperação do sub-bosque em Ibema-PR • Manejado para energia e tora para serraria

“Agroecologia” – Microbacia em São Jorge do Patrocinio

Fone: (41) 3250-2294 [email protected]

www.emater.pr.gov.br