Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada Hong Yuh

download report

Transcript Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada Hong Yuh

Gestão de Estoques na Cadeia de
Logística Integrada
Hong Yuh Ching
Grupo 14 I
Subgrupo Y
Chafia Abrão – 09/91902
Rachel Soares Rebelo – 10/04557
UNIDADE 04
Modelo de associação com fornecedores
 O mundo globalizado leva as empresas a unirem forças para reduzir
custos e aumentar sua competitividade no mercado.
 Benefícios resultantes da integração com fornecedores:
 Parceiros mais fortes e para todo o negócio.
 Foco comum na qualidade.
 Confiabilidade de entregas mais estáveis e repetitivas.
 Baixos níveis de estoques.
 Menos burocracia.
 Melhor controle de processos.
 Dependência mútua e congruência de objetivos.
 Custos da cadeia reduzidos.
2
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 No tipo de relação simbiótica, todo o processo é desenvolvido em
cadeia; cada agente depende do perfeito funcionamento do outro. O
compromisso dessa relação é de longo prazo.
 Com a criação de parcerias, as empresas precisam otimizar as
oportunidades de negócios e fechar os elos com os clientes e
fornecedores.
 Esse é o começo da integração da cadeia logística.
3
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 Alguns exemplos do que pode ocorrer em casos de parcerias, quando
se passa a adotar a integração da cadeia logística: o trabalho de
compras diminui consideravelmente, os estoques são reduzidos, os
prazos de atendimento de pedidos são encurtados, maior qualidade
assegurada, melhoria das falhas no atendimento, desenvolvimento de
tecnologias comuns.
4
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 Parcerias com fornecedores:
Nem todos os relacionamentos com fornecedores devem ser baseados
em parcerias, para que ela seja criada e mantida com sucesso, é
necessário observar certos aspectos;
 nível de apoio das condições ambientais;
 aspectos técnicos;
 compatibilidade de estilos gerenciais e técnicos;
 grau de confiabilidade mútua.
5
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 Os níveis de componentes vão determinar se o relacionamento com o
fornecedor é de colaborador ou de parceiro.:
6
Componentes
Nível Colaborativo
Nível de Parceria
Confiança
Desempenha seu papel com
honestidade e ética. Há
confiança na qualidade do
produto.
Existe
confiança
total.
Fornecimento como extensão
da produção da fábrica.
Entrega de produtos
Conforme a programação. Entrega just in time de acordo
Atrasos são decorrentes de com a produção diária do
restrições no processo.
cliente.
Sistema de produção
Misto de empurrar (previsão
de vendas) e puxar (demanda).
Direcionada pela demanda do
cliente (puxar).
Nível de estoque
Confiabilidade, flexibilidade e
capacidade de produção.
Estoque em processo hoje para
entrega amanhã.
Planejamento
Realizado
em
conjunto, Realizado previamente e em
eliminando conflito.
níveis multidisciplinares.
UNIDADE 04
Estratégias de suprimento
Estratégia de Suprimento
 Adotando estratégias de suprimento, a empresa definirá
relacionamentos apropriados a cada grupo de fornecedores. Elas
sustentam a efetividade da logística de suprimento.
 O processo de determinação das estratégias de suprimento é
estruturado em três macroetapas: avaliação, análise e
implantação.
7
UNIDADE 04
Macroetapa da avaliação
 Consiste nas seguintes atividades;
 identificação dos grupos de suprimento em função de dois eixos: impacto
sobre a empresa e complexidade do mercado;
Alto
IMPACTO
SOBRE A
EMPRESA
Grupo I
Grupo III
Grupo II
Grupo IV
Baixo
Baixa
8
COMPLEXIDADE
NO MERCADO
Alta
UNIDADE 04
Macroetapa da avaliação
 Consiste nas seguintes atividades;
 Levantamento de informações sobre grupos de suprimento no tocante a:
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
9
confirmação dos itens incluídos em cada grupo;
volumes utilizados e consumidos anualmente;
preços praticados;
especificação de qualidade;
processos de produção;
processos de compras;
identificação dos fornecedores atuais;
volumes de fornecimento;
localização física;
características dos contratos
mercados e/ou segmentos alternativos existentes ou possíveis.
UNIDADE 04
Macroetapa de análise
 Consiste nas seguintes atividades;
 determinação das estratégias de suprimento
o
o
o
o
10
estratégia de consolidação;
estratégia de redução de complexidade;
estratégia de integração ;
estratégia de reposicionamento.
UNIDADE 04
Macroetapa de análise
 Consiste nas seguintes atividades;
 identificação de táticas a serem utilizadas
Tática
Estratégia de
consolação
Global sourcing
XXX
Estratégia de
integração
Estratégia de
reposicionamento
X
Racionalizar base de
fornecedores/ parcerias
XXX
XX
Desenvolvimento de
substitutos/padronização
XX
XXX
X
X
XX
XX
Otimizar processos
X
Benchmark das melhores
práticas
Concentração de volume
11
Estratégia de
redução de
complexidade
XXX
XXX
XX
UNIDADE 04
Macroetapa de análise
 Consiste nas seguintes atividades;
 Identificação dos fornecedores potenciais.
 As diversas fontes podem ser: consultorias de especialistas nos diversos
ramos de indústria, federação de indústria, referências em outra
empresas, etc.
12
UNIDADE 04
Macroetapa da implementação
 Consiste nas seguintes atividades;
 Estabelecimento das prioridades de implantação.
 Integração com fornecedores;
o analisar as respostas recebidas;
o verificar as capacidades dos fornecedores, inclusive com vistas in
loco, quanto a nível de qualidade, capacitação tecnológica, prazos
de fornecimento, etc;
o iniciar o processo de análise de cotações e de negociação
desenvolvidas com base nas estratégias definidas para cada grupo
de suprimento;
o escolher os fornecedores e estabelecer contratos, acordos ou
confirmação das cotações;
o fazer gradualmente a transição para os fornecedores escolhidos.
13
UNIDADE 04
Macroetapa da implementação
 Consiste nas seguintes atividades;
 Avaliação contínua das estratégias ;
o
o
o
o
14
detectar alterações nos mercados;
saber das novas capacidades dos fornecedores;
descobrir novos fornecedores em potencial;
monitorar a evolução dos grupos de suprimento.